O Paedsurg Brazil

             Apresentamos um projeto colaborativo multicêntrico exclusivamente brasileiro com o objetivo de investigar as anomalias congênitas cirúrgicas mais frequentes: Atresia de Esôfago, Hérnia diafragmática Congênita, Atresia Intestinal, Gastrosquise, Onfalocele, Malformação Anorretal e Doença de Hirschsprung.

            Este projeto é baseado e inspirado no trabalho “Global PaedSurg Research Collaboration”, desenvolvido e executado pelo Kings College research center, que obteve baixa aderência dos centros brasileiros. Assim, este projeto é incentivado e autorizado pela investigadora principal Ms. Naomi Wright, recebendo a denominação “PaedSurg Brazil”, bem como a chancela do grupo de pesquisa GICS - Global Iniciative Children's Surgery

 

Por que anomalias congênitas?

            Atresia de esôfago, hérnia diafragmática congênita, atresia intestinal, gastrosquise, onfalocele, malformação anorretal e doença de Hirschsprung são as anomalias congênitas mais comuns e estão inclusas nesse estudo. Elas possuem incidência entre 1/2000 a 1/5000 nascidos vivos e normalmente requerem atendimento cirúrgico de emergência nos primeiros dias de vida, podendo ser responsável por até 40% das cirurgias neonatais. Essas anomalias interferem na qualidade de vida da criança e na sua adaptação à sociedade.

             As anomalias congênitas possuem mortalidade superior a 50% e segundo Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) são a segunda principal causa de mortalidade neonatal e infantil no mundo, atrás apenas da prematuridade. Nas Américas, aproximadamente uma em cada dez mortes de crianças com menos de cinco anos se deve a essas anomalias e na América Latina um em cada cinco bebês morre de anomalias congênitas durante os primeiros 28 dias de vida. 

            Entretanto no Brasil, há escassez de informações acerca dessas condições. O Paedsurg Brazil tem como propósito estudar as anomalias congênitas para que possamos conhecer nossa realidade e consequentemente ajudar na implementação de medidas para maior sobrevida e melhor qualidade de vida dessas crianças.

 

Objetivos

          Há uma década, na 63ª Assembleia Mundial da Saúde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou uma resolução que encorajava os países a prevenir anomalias congênitas sempre que possível, promovendo a implementação de programas de triagem e fornecendo apoio e cuidados contínuos, tanto para crianças com defeitos congênitos como suas famílias.

            Dessa forma, são objetivos desse estudo:

  1. Gerar informações para conhecer o panorama das anomalias congênitas no país favorecendo a vigilância e a pesquisa.

  2. Identificar fatores que afetam os resultados de crianças com anomalias congênitas para melhorar o cuidado e a qualidade de vida.

  3. Desenvolver um banco de dados prospectivos sobre anomalias congênitas, a fim de aprimorar os serviços cirúrgicos neonatais no âmbito nacional.

  4. Aumentar a capacidade de pesquisa entre os colaboradores criando uma rede de cirurgiões, anestesistas, pediatras, neonatologistas e profissionais de saúde envolvidos no manejo de recém-nascidos e crianças que necessitam de assistência cirúrgica no Brasil.

  5. Formar um grupo colaborativo nacional em pesquisa cirúrgica pediátrica para possibilitar mais pesquisas e estudos de intervenção, visando melhorar os resultados do tratamento destas anomalias congênitas.

 

Cronograma do

estudo

 

Funções do pesquisador colaborador 

             Necessitamos atingir o maior número de centros possíveis, em diferentes localidades e realidades que nosso país apresenta. A participação de seu centro é fundamental e você terá liberdade para compor o grupo com outros profissionais do seu hospital, como cirurgiões, pediatras, neonatologistas, anestesistas, enfermeiros, profissionais de saúde e/ou alunos de graduação que prestem assistência a recém-nascidos que necessitem de cirurgia.


           Cada colaborador receberá um usuário individual no RedCap® para incluir os dados na plataforma da pesquisa. Os colaboradores que auxiliarem na pesquisa terão direito a autoria nas publicações originadas dos dados obtidos, no intuito de organizarmos e proporcionarmos possibilidades a todos. 

 

Quero ser um pesquisador colaborador

             Contamos com sua colaboração e a participação de seu centro. Estamos a disposição para tirar qualquer dúvida ou fazermos maiores esclarecimentos nos contatos abaixo.

Caso tenha interesse, pode se inscrever através do preenchimento do formulário disponível no link 

Estudo Brasileiro de malformações congênitas 

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter - círculo cinza